segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

EDITAL FECIC 16 - CEARÁ CIENTÍFICO ESCOLAR 2019




FECIC 16 / CEARÁ CIENTÍFICO 2019 – EEM RONALDO CAMINHA BARBOSA


1. DA ENTIDADE
A Escola de Ensino Médio Ronaldo Caminha Barbosa, localizada na Estrada de Pratiús, SN, Praia da Caponga - Cascavel - CE, realizará a 16ª edição da Feira de Ciências e Cultura/Ceará Científico ETAPA Escolar 2019, no dia 30 de abril de 2019 com exposição de projetos mediante as normas contidas no presente edital. O tema da edição de 16 anos do evento é: “Criatividade e Inovação: Ciência e Ética para promoção de aprendizagens e impacto social”.

2. OBJETIVOS DO EVENTO
I. Estimular a investigação e a busca de conhecimento de forma cotidiana e integrada com toda a comunidade escolar, conduzida e desenvolvida pelos estudantes;

II. Envolver participações ativas, práticas e conceituais de alunos e professores, na construção e desenvolvimento de projetos;

III. Estabelecer relações dinâmicas dos conhecimentos específicos das disciplinas de base comum do Ensino Médio, com problemáticas sociais, culturais, econômicas e ambientais, de caráter local, regional, nacional e/ou global.

IV. Buscar parcerias para assistência científica, tecnológica e/ou pedagógica, compatível com a natureza das atividades do projeto, fornecida por instituição acadêmica ou educacional, que compartilhe com a escola interesses no desenvolvimento do projeto;

V. Promover o intercâmbio artístico, cultural e científico entre os visitantes e participantes do evento;

VI. Incentivar a participação dos alunos e professores em eventos científicos desta natureza.

3. JUSTIFICATIVA
O  Ceará Científico - Etapa Escolar é uma ação de incentivo ao desenvolvimento de trabalhos científicos e culturais, no âmbito da EEM RONALDO CAMINHA BARBOSA. Além disso, é um espaço rico de possibilidades para as múltiplas expressões das juventudes.

A escola, como lugar de acesso e produção de conhecimento e de manifestação cultural, desempenha um papel relevante, na medida em que introduz os jovens no universo da arte, da cultura e da investigação científica.

O evento busca ampliar o espaço para o desenvolvimento da curiosidade científica, em sua dimensão histórica, social e cultural, considerando os questionamentos que surgem das experiências, expectativas e estudos teóricos de nossos estudantes.

4. DAS RESPONSABILIDADES
4.1 - NÚCLEO GESTOR DA  EEM RONALDO CAMINHA BARBOSA
Responde pela articulação e mobilização de estudantes e professores para o desenvolvimento de projetos , culminando com o evento de exposição científica. A gestão é responsável pela organização do evento, premiação e apoio logístico.

4.2 - CORPO DISCENTE (ESTUDANTES)
São responsáveis pelo desenvolvimento de projetos científicos primando pela criatividade, inovação e promoção de impactos sociais positivos para a escola e comunidade.

4.3 - CORPO DOCENTE (PROFESSORES)
São responsáveis pela orientação dos projetos estudantis, conduzindo-os pelo trajeto da ética e responsabilidade na pesquisa.


5. DESCRIÇÃO GERAL DO PROJETO CIENTÍFICO DA FEIRA ESCOLAR 

5.1 - Da abrangência
O propósito é envolver e incentivar os estudantes da EEM RONALDO CAMINHA BARBOSA no percurso itinerário dos trabalhos científicos desenvolvidos. SERÃO ACEITAS EQUIPES MISTAS FORMADAS POR INTEGRANTES DE SALAS/TURMAS DISTINTAS desde que contando com um orientador em comum.

5.2 - Dos projetos participantes
Poderão participar todos os estudantes REGULARMENTE MATRICULADOS NA EEM RONALDO CAMINHA BARBOSA.

AS EQUIPES PODERÃO SER FORMADAS POR ESTUDANTES DE DIFERENTES CLASSES/TURMAS CONTANDO QUE SEJAM DO MESMO TURNO.

5.3 - Dos critérios de Participação/Orientação dos Projetos Científicos
I. Serão aceitos projetos formados por no mínimo 02 e no máximo 07 estudantes por equipe.
II. Todos os projetos deverão ter a participação de 1 (um) professor orientador.
III. Cada docente poderá orientar até 05 (cinco) projetos e no mínimo 03 (três) projetos. 
IV. O ORIENTADOR DEVERÁ ASSINAR UM FORMULÁRIO DE CONSENTIMENTO E LIBERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE PESQUISA EM DUAS VIAS (UMA PARA A EQUIPE E A OUTRA PARA A COMISSÃO DA FEIRA/CONTROLE DO PROFESSOR)
V. AS EQUIPES QUE NÃO PROCURAREM PERIODICAMENTE AS ORIENTADORAS E ORIENTADORES PARA INFORMAR SOBRE O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO, MESMO AS QUE POSSUAM O TERMO DE LIBERAÇÃO ASSINADO, SERÃO PENALIZADAS E/OU ELIMINADAS DO PROCESSO COMPETITIVO.
VI. Atividades de pesquisa fora do ambiente escolar DEVEM EXCLUSIVAMENTE ocorrer sob supervisão/acompanhamento das orientadoras e orientadores dos respectivos projetos e/ou um adulto responsável.
VII. Visando a adequação e distribuição proporcional de projetos por categoria inicialmente fica estabelecido que serão destinadas 10 vagas de projetos para cada categoria. Em caso de um categoria apresentar mais inscrições do que a capacidade comportada prevista, a comissão adotará critérios específicos (criatividade, relevância da proposta, indicação metodológica) para selecionar os 10 projetos finalistas da categoria. Ao decorrer do processo de inscrição será informado o quantitativo de projetos por área, podendo ser ofertadas igualmente mais vagas em cada categoria (a depender da demanda).



5.4 - DAS CATEGORIAS
O Ceará Científico Etapa Escolar 2019 contará com 6 categorias, sendo elas:
I. Linguagens e aplicações das TIC
II. Ciências e Engenharia
III. Pesquisa em Ciências Humanas e suas tecnologias
IV. Matemática e Suas Aplicações
V. Robótica Educacional e Automações
VI. Pesquisa em Educação Ambiental




5.4.1 - Sobre as categorias
O que define a categoria de inscrição é o objeto (problema) da pesquisa e não a sua aplicação:



CATEGORIA OBJETO DA PESQUISA
Linguagens e Aplicação das TIC Língua Portuguesa, Línguas Estrangeiras, Educação Física, Artes, Cultura e Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs).

Ciências e Engenharia:  Biologia, Física ,Química e Engenharias.

Pesquisa em Ciências Humanas e suas tecnologias:  Filosofia, História, Geografia, Sociologia, Antropologia e Ciência Política.

Matemática e suas aplicações:  Matemática Pura, Financeira e Comercial, Educação Matemática, Estatística e Matemática Aplicada.

Robótica Educacional e Automações: Robôs, Automatizações e Desenvolvimento de Softwares com Aplicação em Automatizações. 

Pesquisa em Educação Ambiental: - Redução de impactos ambientais gerados pela escola;
- Melhoria da qualidade de vida e interpessoal no ambiente escolar;
- Estímulo ao uso racional dos recursos naturais;
- Garantia hídrica e de geração de energias limpas
- Observação e estudo da natureza e das relações entre as formas de vida e os ciclos naturais;
- Reflexão e mitigação das desigualdades socioeconômicas e seus impactos socioambientais que recaem, principalmente, sobre os grupos mais vulneráveis.


OS PROJETOS INSCRITOS QUE APRESENTAREM IRREGULARIDADES TÉCNICAS, NA FORMATAÇÃO DOS DADOS, NA COMPOSIÇÃO DOS RESULTADOS OU DE QUALQUER OUTRO ITEM REGULARIZADO PELO EVENTO, PODERÃO SER EDITADOS.

OS ORIENTADORES DEVEM REALIZAR O ACOMPANHAMENTO DA ROTINA DE DESENVOLVIMENTO DO PROJETO ATRAVÉS DO CADERNO DE CAMPO E FORNECENDO SUA ASSINATURA SEMPRE QUE PARTICIPAR DE REUNIÕES, ATIVIDADES EXPERIMENTAIS, DE PESQUISA OU QUALQUER OUTRO ITEM QUE ENVOLVA O PROJETO.

6. DA INSCRIÇÃO

6.1 - OS RESPONSÁVEIS POR CADA PROJETOS DEVERÃO PREENCHER  UM FORMULÁRIO QUE CONTEMPLARÁ OS SEGUINTES TÓPICOS
I.Ficha de Inscrição por Projeto/Dados de Identificação da equipe (nomes, série e turma)
II. Dados do projeto – (ÁREA DE INSCRIÇÃO)
III. Resumo do projeto (Ver modelo) - Anexo I
IV. LINK DO VÍDEO DO PROJETO (ENTRE 1 E 3 MINUTOS) HOSPEDADO NO YOUTUBE.



6.2 - PROCEDIMENTO DE INSCRIÇÃO
a) A INSCRIÇÃO: depois de desenvolvido o projeto e finalizado o processo de escrita do resumo e preenchimento dos dados da equipe (Estudantes, série, turma, turno, professor orientador, e-mail para contato e área do projeto) os ESTUDANTES e seus respectivos ORIENTADORES DEVERÃO PREENCHER E ENVIAR VIA FORMULÁRIO ONLINE OS DOCUMENTOS SOLICITADOS (DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA EQUIPE, ÁREA DO PROJETO, PROFESSOR ORIENTADOR  E RESUMO DO PROJETO).




OS RESUMOS E OS DADOS DE CADA PROJETO SERÃO UTILIZADOS PARA INSCRIÇÃO DO PROJETO NO SISTEMA DE FEIRAS DE CIÊNCIAS (edu.cientifica.seduc.ce.gov.br). É NESSE AMBIENTE QUE OCORRERÁ O PROCESSO DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS.

A INSCRIÇÃO DO PROJETO SOMENTE SERÁ EFETIVADA COM A ENTREGA E PROTOCOLO DA FICHA DE LIBERAÇÃO ASSINADA PELO PROFESSOR ORIENTADOR.

b) O RESUMO DO PROJETO

Deverá fazer parte do resumo (OBRIGATORIAMENTE)

I. CONTEXTUALIZAÇÃO (até 120 palavras)
II. OBJETIVO GERAL (até 70 palavras)
III. OBJETIVOS ESPECÍFICOS - ATÉ 5 OBJETIVOS ESPECÍFICOS (até 40 palavras)
IV. METODOLOGIA (até 150 palavras)
V. RELEVÂNCIA DO PROJETO/PESQUISA (até 150 palavras)
VI. IMPACTO DO PROJETO/PESQUISA (até 100 palavras)
VII. CONSIDERAÇÕES FINAIS (até 100 palavras)
VIII. REFERÊNCIAS (3 referências principais)
IX. PALAVRAS-CHAVE (3 palavras-chave)
X. CONTATO (email para contato)
XI. LINK DO VÍDEO DO PROJETO (YOUTUBE) (O VÍDEO DEVE SER PÚBLICO. VÍDEOS PRIVADOS OU NÃO LISTADOS NÃO SERÃO CONSIDERADOS)


OBSERVAÇÃO: OBEDECER AO LIMITE DE PALAVRAS. É UMA EXIGÊNCIA DO SISTEMA DE FEIRA DE CIÊNCIAS. BUSQUEM FAZER COM QUE OS TÓPICOS "CONTEXTUALIZAÇÃO", "METODOLOGIA", "RELEVÂNCIA DO PROJETO/PESQUISA", "IMPACTO DO PROJETO/PESQUISA" e "CONSIDERAÇÕES FINAIS" TENHAM NO MÍNIMO 50 PALAVRAS.


c) O Modelo do Resumo: Vide anexo I.

7. LOCAL DE APRESENTAÇÃO

A exposição de projetos para o público e avaliação acontecerá no dia 30 de ABRIL de 2019 na EEM RONALDO CAMINHA BARBOSA.

1 - EM 2019 CONTAREMOS COM A AVALIAÇÃO DO PÚBLICO. AS PESSOAS QUE VIEREM PRESTIGIAR A MOSTRA DE PROJETOS TERÃO O DIREITO DE VOTO/AVALIAÇÃO DO PROJETO PARA SELEÇÃO DO MELHOR PROJETO SEGUNDO O VOTO POPULAR.

2 - TODAS AS EQUIPES DEVEM APRESENTAR SEUS PROJETOS PARA O PÚBLICO VISITANTE, INDEPENDENTE DA AVALIAÇÃO E APRESENTAÇÃO PARA BANCA DE JURADOS. MEDIDAS SERÃO TOMADAS PARA EQUIPES QUE SE RECUSAREM A APRESENTAR PARA O PÚBLICO VISITANTE.


OBS: EM CASOS DE EMPATE AS EQUIPES PODERÃO SER SUBMETIDAS A UMA NOVA AVALIAÇÃO NO DIA DA EXPOSIÇÃO AO PÚBLICO.

8. EXPOSIÇÃO CIENTÍFICA
·Os espaços de apresentação deverão ser organizados no dia 30 de abril de 2019, no horário de 07h30 às 11h. (Afixação do banner, organização dos materiais necessários a exposição, tais como maquetes, protótipos, além de caderno de campo).
·A apresentação dos projetos PARA OS PROFESSORES ORIENTADORES, COMUNIDADE, AVALIADORES E DEMAIS VISITANTES ocorrerá no dia 30 de ABRIL de 2019.
·Todos os projetos das categorias LINGUAGENS E APLICAÇÃO DAS TIC, CIÊNCIAS E ENGENHARIA, PESQUISA EM CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS APLICAÇÕES, MATEMÁTICA E SUAS APLICAÇÕES e PESQUISA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL devem ser apresentados na Feira, na forma de BANNER acompanhado de CADERNO DE CAMPO/PESQUISA, podendo ser expostos esquemas, equipamentos, fotos e protótipos que ilustrem e/ou estejam relacionados ao objeto da pesquisa, não sendo, entretanto, disponibilizados pontos de energia para tal. Na categoria ROBÓTICA EDUCACIONAL E AUTOMAÇÕES, além do banner e do caderno de campo/pesquisa, será permitida a utilização de um computador e/ou de um kit de robótica. 
·Cada equipe da categoria Robótica Educacional deverá trazer o seu próprio computador e o seu próprio kit de Robótica e sobre eles deve ter total responsabilidade.
·Será permitida a distribuição de cartões de contato, pequenas lembranças e folders relativos ao projeto. Entretanto, o material de distribuição não fará parte dos critérios de avaliação.
·Não será permitida a exposição de nenhum item que fuja às regras de segurança (item 10).

9. PRAZOS
I. Período de inscrição (envio dos dados dos projeto e da equipe + resumo + link do vídeo do projeto): de 04/02 à 05/04/2019


10. REGRAS DE SEGURANÇA
Serão proibidas as exposições dos seguintes itens:
a) Organismos vivos (ex: plantas, animais, microorganismos, etc.);
b) Espécimes (ou partes) dissecados;
c) Animais vertebrados ou invertebrados preservados (inclusive embriões);
d) Órgãos ou membros de animais e/ou humanos ou seus fluidos (sangue, urina, etc.);
e) Gelo seco ou outros sólidos sublimáveis;
f) Baterias com células expostas;
g) Produtos químicos voláteis/corrosivos e/ou combustíveis;
h) Substâncias tóxicas ou de uso controlado;
i) Materiais cortantes, seringas, agulhas, materiais de vidro que possam provocar ferimentos/acidentes;
j) Fotografias ou quaisquer outras formas de apresentação visual ofensivas ao direito e à dignidade humana.

11. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS
1.1 DA AVALIAÇÃO VIRTUAL - RESUMO E MÍDIA
Os projetos de pesquisas apresentados no Ceará Científico - EEM RONALDO CAMINHA BARBOSA serão avaliados virtualmente por meio de resumo escrito e de mídia (vídeo), produzidos pelas equipes inscritas, seguindo orientações e os critérios relacionados no item 11.2.
Cada projeto será acompanhado por 02 (dois) avaliadores da sua respectiva área , analisando o resumo do trabalho e a mídia desenvolvidos, sendo esta avaliação correspondente à 50% da nota final dos projetos científicos participantes da feira.

O VÍDEO DO PROJETO DEVERÁ TER DURAÇÃO MÍNIMA DE 1 MINUTO E MÁXIMA DE 3 MINUTOS.

11.2 CRITÉRIOS DA AVALIAÇÃO VIRTUAL - RESUMO E MÍDIA

a) Criatividade e Inovação 25%
b) Conhecimento Científico do problema abordado 25%
c) Metodologia científica 20%
d) Mídia - Apresentação da Pesquisa/Projeto 15%
e) Mídia - Coerência com o resumo 15%

11.3 DA APRESENTAÇÃO PRESENCIAL
A avaliação presencial dos projetos ocorrerá no dia 30 de abril de 2018 (quarta-feira), tanto no local de apresentação para o público (galerias) quanto no formato acadêmico apresentado nas salas de apoio, de acordo com os horários que serão definidos. A desenvoltura oral na arguição do trabalho, utilizando o banner e o caderno de campo/pesquisa, será a análise principal dessa avaliação. Em caso de empate, fica a critério da Comissão Coordenadora do Ceará Científico - EEM RONALDO CAMINHA BARBOSA promover o desempate.

Após o momento de avaliação, a equipe deve retornar ao seu local de exposição e apresentar o projeto até o final do evento para o público visitante. A não apresentação do projeto ao público é um critério de eliminação do projeto e acarretará prejuízos à nota atribuída (aproveitamento participativo).

Cada projeto será acompanhado por 02 (dois avaliadores de sua respectiva área. A avaliação do professor orientador é para atribuição da nota (relacionada ao aproveitamento participativo/nota da etapa) da equipe.

É vedada a interferência do professor orientador durante a avaliação.

Durante todo o evento, pelo menos um dos alunos expositores deverá permanecer junto ao banner/projeto apresentando o projeto aos visitantes.



11.4 DA APRESENTAÇÃO ORAL
A avaliação presencial dos projetos ocorrerá no dia 30 de abril de 2019 no formato acadêmico apresentado nas salas de avaliação, de acordo com os horários que serão definidos. A desenvoltura oral na arguição do trabalho, utilizando o banner e o caderno de campo/pesquisa, será a análise principal dessa avaliação. Em caso de empate uma nova avaliação poderá ocorrer ou a própria Comissão Organizadora do Ceará Científico estabelecerá outros critérios de desempate que não constem neste edital, caso permaneça um empate.


Cada projeto será acompanhado por 02 (dois avaliadores de sua respectiva área. A avaliação do professor orientador é para atribuição da nota (relacionada ao aproveitamento participativo/nota da etapa) da equipe.

É vedada a interferência do professor orientador durante a avaliação.

Durante todo o evento, pelo menos um dos alunos expositores deverá permanecer junto ao banner/projeto apresentando o projeto aos visitantes.


A PARTICIPAÇÃO NA FEIRA DE CIÊNCIAS É OBRIGATÓRIA, EM CASO DE NÃO PARTICIPAÇÃO/APRESENTAÇÃO OS ALUNOS FICARÃO SEM NOTA.

11.4 DA APRESENTAÇÃO ORAL

11.4.1 Projetos Científicos
A arguição deve ser de forma clara e objetiva, obedecendo ao método científico, e utilizando, como recursos principais, os elementos do banner e do caderno de campo/pesquisa. Cada equipe dispõe de até 10 minutos, que devem ser distribuídos/administrados de forma que haja tempo suficiente para a sua explanação e para as possíveis perguntas e considerações do avaliador.

11.5 Do Caderno de Campo/Pesquisa
Neste documento, as equipes devem ter registrado as etapas do projeto, relatando todos os fatos e as datas respectivas. Caso seja continuação de projeto, o caderno de campo deve abranger o período relativo a todo o desenvolvimento do projeto. Este não deverá ser digitado, apenas manuscrito, sendo obrigatória a apresentação do documento (CADERNO DE CAMPO ORIGINAL)

* O CADERNO DE CAMPO DEVERÁ CONTER:
a) Registro detalhado e preciso dos fatos, dos passos, das descobertas, das novas indagações;
b) Registro dos estudantes e professores orientadores envolvidos em cada etapa/ação do projeto;
c) Poderá incluir fotos, gravuras, figuras e desenhos;
d) Registro das datas e locais das investigações;
e) Registro de testes e resultados;
f) Entrevistas e consultas aos informantes da pesquisa;
g) Nas categorias de Educação Ambiental (científica e artístico-cultural): deve-se registrar as ações que promovam as mudanças de atitudes e de comportamentos da comunidade escolar e comunidade local, quanto à gestão escolar, currículo e espaço físico que promovam a consolidação das escolas como Espaço Educador e Sustentável;
h) Referências.


O caderno de campo não faz parte dos documentos de inscrição, devendo o mesmo permanecer no expositor durante o período de avaliação e de visitação do evento.

Recomendamos que o caderno de campo/pesquisa tenha a assinatura cotidiana do orientador, sendo numerado e datado para demonstrar a originalidade e a rotina de encontro e de desenvolvimento da pesquisa/projeto.

11.6 Da exibição visual - Banner. Vide Anexo II.
A exibição deverá ser feita na forma de banner, de maneira clara e objetiva, salientando os dados mais importantes, para possibilitar o perfeito entendimento do projeto. O banner deverá seguir o seguinte padrão técnico:
I. Tamanho do banner: Largura: 0,90 m; Altura: 1,20m (ou 90 cm x 120 cm);
II. O texto do banner deverá ser legível a uma distância de, pelo menos, 1 m;
III. Horário das Sessões de banner, todo o período de apresentação (30/04/2019).

11.7 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PRESENCIAL

a) Criatividade e inovação 15%
b) Conhecimento científico do problema abordado 15%
c) Metodologia científica/Direção artística 20%
d) Clareza e objetividade na apresentação do trabalho 20%
e) Banner 15%
f) Caderno de Campo 15%


a) Criatividade e Inovação (15%)
Criatividade é compreendida neste processo de análise como sendo o ato de pensar o novo, inovação é fazer coisas novas e valiosas. Inovação é a implementação de um “novo” ou “significativamente” melhorado produto (bem ou serviço), processo de trabalho ou prática de relacionamento entre pessoas, grupos ou organizações como uma contribuição social. A inovação, geralmente, é o resultado da recriação de algo. Também ser o resultado da combinação original de coisas já existentes. Algumas importantes inovações consistem de novos usos para objetos e tecnologias preexistentes.

b) Conhecimento científico do problema abordado (15%)
O conhecimento científico e artístico promove o raciocínio argumentativo que é extremamente relevante para o conhecimento das ciências. De posse do conhecimento
científico o educando poderá construir modelos, desenvolver explicações do mundo físico e natural e ser capaz de interagir com eles. Precisa demonstrar que aprendeu significativamente os conceitos implicados associados ao trabalho defendido, e que desenvolveu a capacidade de responder questionamentos sobre o seu trabalho de posse dos conhecimentos científicos. Especificamente nas categorias de Educação Ambiental, as ações e projetos devem promover a integração curricular das disciplinas, enaltecendo a transdisciplinaridade e interdisciplinaridade do tema abordado, fortalecendo a interface com o cotidiano escolar, de forma permanente ao longo do ano letivo. Os projetos devem propor ou resultar em mudanças de atitudes e de comportamentos da comunidade escolar e comunidade local quanto à gestão escolar, currículo e espaço físico, buscando mitigar as injustiças socioambientais presentes na comunidade escolar, promovendo a consolidação das escolas como Espaço Educador Sustentável.

c) Metodologia Científica (20%)
Os educandos precisam ser capazes de explicar como procederam as suas investigações; que instrumentos eles utilizaram para coletar dados; quais as fontes que eles pesquisaram, como eles tiveram acesso a tais fontes, bem como em que período desenvolveram suas pesquisas. Todas estas explicações devem ter como fundamento os conhecimentos científicos adquiridos. 

d) Clareza e objetividade na apresentação do trabalho (20%)
Os autores devem planejar com clareza e objetividade a sua apresentação de modo que o tempo seja otimizado e as informações compartilhadas possam ser bem explicadas e bem interpretadas. Um bom entrosamento (apresentação compartilhada) entre os alunos/expositores se faz importante para este quesito. Este entrosamento se refere a um sequenciamento lógico e dinâmico, levando-se em consideração a participação dos dois alunos na apresentação do trabalho. As apresentações artísticas deverão apresentar
objetividade e clareza na linguagem artística específica, sequência lógica no roteiro da expressividade artística e harmonia entre os integrantes, na iluminação, no figurino e no
cenário.

e) Banner (15%)
As equipes devem privilegiar o espaço do banner (0,90m x 1.20m) destinando a maior parte(até de 65%) deste para exposição de ilustrações (fotos, figuras, tabelas, quadros, gráficos, etc). No espaço restante deverão ser explanados os textos relativos ao trabalho apresentado.

f) Caderno de campo (15%)
No caderno de campo, deve(m) ser registrada(s) todas as etapas durante o desenvolvimento do projeto, relatando fatos, quem realizou e as suas respectivas datas. Se for a continuação de projeto, o relato deve abranger o período relativo a todo o processo do projeto. O caderno de campo será exigido em todas as categorias e etapas do Ceará Científico.


11.8 NOTA FINAL (FEIRA)
A nota final dos projetos será dada pelo SISTEMA DE FEIRAS DE CIÊNCIAS. 


12. CLASSIFICAÇÃO E PREMIAÇÃO DOS PROJETOS
12.1 Da Classificação
Serão classificados e premiados os projetos que atingirem as maiores pontuações, em cada categoria, e de acordo com a média da sua pontuação (virtual e presencial), em primeiro, segundo e terceiro lugar.

12.2 Da Premiação dos Projetos
Serão premiados com medalhas (03) projetos em cada categoria, de acordo com sua pontuação.

Poderão ser ofertados prêmios especiais e reconhecimentos a projetos que se destacarem.

12.3 APROVEITAMENTO PARTICIPATIVO (NOTA)
Estudantes que apresentarem projetos na feira científica terão as notas obtidas com as apresentação convertidas em nota relativa à avaliação parcial da etapa (A SER EXPLICADO POSTERIORMENTE PELA GESTÃO ESCOLAR). AS NOTAS UTILIZADAS SERÃO ATRIBUÍDAS PELO ORIENTADOR DE CADA PROJETO. Estudantes que não participarem da feira científica FICARÃO SEM NOTA.



13. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DA 16ª FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA - FECIC - EEM RONALDO CAMINHA BARBOSA 2019

As atividades referentes à feira serão desenvolvidas durante o primeiro semestre letivo de 2019. A culminância da prática de pesquisa e trabalho com projetos será realizada no dia 30 de abril com a MOSTRA DE PROJETOS FECIC 2019, com exposição de trabalhos para o público e para a banca avaliadora.


Semana Atividade
04 à 08/02 Divulgação do edital da FECIC 16 
11 à 15/02 Orientações em sala, divisão das equipes, levantamentos das temáticas. COMEÇO DA ESCRITA DOS CADERNOS DE CAMPO
18 à 22/02 Elaboração e aplicação de questionários, problemáticas, delimitação de objetivos e metodologia 
25/02 à 01/03 Estruturação dos resumos e textos do projeto 
Revisão e correção dos textos pelos orientadores/as
11 à 15/03 Execução das metodologias acordadas por equipes e orientadores/as
18 à 22/03 Execução das metodologias acordadas por equipes e orientadores/as
25 à 29/03 Execução das metodologias acordadas por equipes e orientadores/as
01 à 05/04 Encerramento das Inscrições para FECIC 16
08 à 12/04 Preparação do banner e finalização dos cadernos de campo
15 à 18/04 Ajustes finais no desenvolvimento dos projetos. Preparação das apresentações
22 à 26/04 Preparação das apresentações
30/04/ Montagem dos locais de apresentação, Mostra de Projetos FECIC 16, Avaliação presencial
Exposição aberta ao público e avaliação do públuco

14. CREDENCIAMENTO PARA O CEARÁ CIENTÍFICO - ETAPA REGIONAL

CABE À COMISSÃO ORGANIZADORA O PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O CEARÁ CIENTÍFICO - ETAPA REGIONAL, podendo ainda optar para que projetos campeões em suas categorias representem a EEM RONALDO CAMINHA BARBOSA no CEARÁ CIENTÍFICO - ETAPA REGIONAL, evento que reúne todas as escolas da CREDE 09. Na etapa regional são selecionados os projetos que representarão nossa região no CEARÁ CIENTÍFICO – ESTADUAL onde terão a oportunidade de socializar suas produções, conhecer outros estudantes e professores de todas as partes do Ceará e concorrer a prêmios.

15. CASOS OMISSOS
Os casos omissos sobre AVALIAÇÃO, JULGAMENTO E CLASSIFICAÇÃO serão resolvidos pela Comissão Coordenação do Ceará Científico - EEM RONALDO CAMINHA BARBOSA.
























ANEXOS

ANEXO I



ANEXO I
(RESUMO) PROJETO CAMPEÃO DA CATEGORIA MATEMÁTICA E SUAS APLICAÇÕES DA XIII FECIC 2016, 1º LUGAR NA FEIRA REGIONAL DE CIÊNCIAS DA CREDE 09 E 1º LUGAR NA FERIA ESTADUAL DE CIÊNCIAS E CULTURA (CEARÁ CIENTÍFICO) – SEDUC – CAMPEÃO GERAL DO CEARÁ CIENTÍFICO 2016 – CREDENCIADO PARA A MOSTRATEC 2017


Título: MATEMATICANDO: UMA PRÁTICA DE APRENDIZAGEM E INCLUSÃO
Autores:
DIOVANA FELIX SILVA DE MELO
WERMESSON CASTRO SILVA
SABRINA DA COSTA QUEIROZ
CARLOS DANIEL DA SILVA FLORÊNCIO
ELIAS COELHO DA SILVA
RYANNE MOURA DA SILVA

CONTEXTUALIZAÇÃO
O contexto educacional brasileiro é focado na mera transmissão de conteúdos (DEMO, 1996) tendo o ensino de matemática e demais disciplinas sido „prejudicado‟ pelas metodologias empregadas. É comum entre os alunos o ideal de que a matemática e as ciências, de um modo geral, são difíceis de aprender (CABRAL, 2006) e que a pesquisa científica é uma realidade restrita às universidades devido à complexidade teórico-metodológica e aplicação de conceitos matemáticos. Nesse sentido, o projeto busca responder a seguinte a questão: É possível desenvolver, por meio de uma plataforma de aprendizagem interativa em matemática entre escola e comunidade e métodos interdisciplinares um aprendizado significativo da matemática, e demais disciplinas, sendo este aprendizado útil ainda para avaliações internas e externas?

OBJETIVOS GERAIS
O projeto objetivar aplicar uma nova modelagem socioeducacional para a matemática, aplicando-a como alicerce da prática de pesquisa e desenvolvimento de tecnologias sociais para auxiliar a resolução de problemas escolares/comunitários e desenvolver uma perspectiva de matemática inclusiva para pessoas carentes e com necessidades especiais, desencadeando impactos pedagógicos (sobre aprendizagem dos conceitos matemáticos) e sociais.

OBJETIVOS ESPECÍICOS
 Utilizar o projeto para maximizar os índices de aprovação escolar e reduzir a evasão em um período de 3 anos;
 Possibilitar o desenvolvimento crítico e social dos educandos;
 Utilizar a alfabetização matemática como meio de inclusão e transformação social.

METODOLOGIA
O projeto foi desenvolvido de 2014 a 2016 através de metodologias criativas e inovadoras: “Matematicando com o Lúdico”; “Matemática em Toda Parte” e “Matemática Contextualizada” onde as ações desenvolvem, por meio de práticas intervencionistas e cooperativas, o aprendizado de conteúdos relacionados à Matriz Nacional Curricular Comum através da (re)aplicação dos conceitos matemáticos considerando o meio social dos educandos. Outra inovação consiste em trabalhar os elementos matemáticos através da institucionalização da pesquisa/desenvolvimento tecnológico na escola, onde os alunos desenvolvem projetos científicos trabalhando em sala de aula e extraclasse: a coleta e tabulação de dados, população e amostragem, estatística e outros elementos matemáticos necessários à execução de projetos visando uma aprendizagem matemática significativa. Desenvolvemos a “Matemática Inclusiva” com pessoas da comunidade e portadores de necessidades especiais, estendendo o impacto do projeto. Os dados de rendimento estudantil de 2011-2013 (antes do projeto) foram comparados aos dados de 2014-2016 para dimensionamento de resultados pedagógicos.

RELEVÂNCIA
As práticas do projeto proporcionaram uma mudança de atitude frente à matemática. Verificou-se que as 192 células científicas envolvidas no desenvolvimento de projetos por meio dos elementos matemáticos, apresentaram uma assimilação de conceitos de forma dinâmica e significativa. Os projetos produzidos foram apresentados em diversos eventos científicos, obtendo destaque pela análise/tratamento dos dados matemáticos e pela relevância social. A metodologia testada propiciou uma elevação nas médias nas avaliações e sequencias didáticas aplicadas, com enfoque para o crescimento em Matemática. A dinamização e o aprendizado por problematização dos conceitos matemáticos possibilita um melhor engajamento dos estudantes e facilitam a replicação do método desenvolvido em diversas realidades educacionais bem como estimulam o protagonismo estudantil. Com o projeto evidenciou-se a menor taxa de evasão dos últimos 8 anos (0,78%) bem como a maior taxa de aprovação (95,8%), dados da SEDUC/CE.

IMPACTO DO PROJETO
Diante das dificuldades que as escolas públicas apresentam no que tange o aprendizado em matemática e produção científica, o projeto apresenta grande impacto nos campos supramencionados, uma vez que os resultados obtidos comprovam que a hipótese testada é válida e significativa e que os objetivos foram alcançados. Desenvolvemos oficinas com familias de comunidades carentes, portadores de necessidades especiais e pessoas que não sabiam ler possibilitando o desenvolvimento de vínculos socioeducacionais entre essas pessoas, levando a alfabetização matemática para a comunidade com resultados de impacto social positivo. O impacto positivo (quanti e qualitativo) reafirma a relevância do projeto no ensino-aprendizado.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Verificou-se de forma interdisciplinar: aprendizagem cooperativa e baseada em problemas; desenvolvimento do raciocínio lógico e da capacidade de análise de dados; um aprendizado prazeroso dos conceitos matemáticos de forma prática, significativa e de fácil assimilação, sendo que o projeto trabalha de forma multifacetada a criatividade e o desenvolvimento científico, pedagógico e social dos envolvidos. Verificou-se que as práticas do projeto foram corresponsáveis por uma elevação na autoestima estudantil e nos índices de desenvolvimento interno da instituição. Houve um crescimento nas médias gerais das turmas com o desenvolvimento do projeto, comprovando que as práticas desenvolvidas podem ser aplicadas em outras escolas.

REFERÊNCIAS
CABRAL, Marco Aurélio. A utilização de jogos no ensino da matemática. Santa Catarina: UFSC, 2006.
EEM RONALDO CAMINHA BARBOSA – ESTRADA DE PRATIÚS, S/N, CAPONGA/CASCAVEL-CE
FONE: (85) 3334 8320 - EMAIL: ronaldocaminha@escola.gov.ce.br
DEMO, Pedro. Educar pela pesquisa. Campinas: Autores Associados, 1996.
MACHADO,N.J. Matemática e educação: alegorias, tecnologias e temas afins. São Paulo: Cortez, 1995.
Palavras-chave: RELEVÂNCIA SOCIAL; MATEMÁTICA; CIDADANIA









ANEXO II



(BANNER)
(Esta é uma sugestão geral. Caso a equipe queira usar sua criatividade pode ficar a vontade, entretanto é imprescindível que todos os itens que apareçam neste modelo, apareçam também no banner desenvolvido pela equipe)

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Projeto S.O.S CASA da EEM Ronaldo Caminha é aprovado para FEBRACE 2019




O projeto "S.O.S CASA: síntese e aplicação de biomateriais de resíduos sólidos na melhoria habitacional de casas de taipa (pau-a-pique)" desenvolvido pelas estudantes da EEM Ronaldo Caminha Barbosa, Cássia Xavier e Eduarda Oliveira, sob orientação da professor Jôseline Nascimento, foi aprovado para a FEBRACE - Feira Brasileira de Ciências e Engenharia.

S.O.S CASA
A iniciativa vai concorrer na área de Engenharias. A propostas das estudantes foi desenvolver um compósito cerâmico de baixo custo a partir de resíduos sólidos e aplicar esse biomaterial na melhoria estrutural das casas de taipa, sendo uma medida com enfoque social, sanitário e ambiental.

O projeto cearense aplica conceitos de Química, Física e Biologia, além de dialogar com questões das Ciências Sociais, para desenvolver tecnologias que visem proporcionar uma melhor qualidade de vida para as famílias que moram em casas de taipa em 11 comunidades carentes próximas à Escola Ronaldo Caminha, localizada em Cascavel, região Metropolitana de Fortaleza.

Além da FEBRACE, o projeto foi um dos vencedores nacionais do Prêmio Respostas para o Amanhã e está participando da Google Science Fair, uma competição virtual para projetos que usem os conhecimentos de ciência e engenharia para solucionar um problema da comunidade.

FEBRACE
Promovida anualmente pela Poli-USP, por meio do Laboratório de Sistemas Integráveis (LSI), a Febrace é a maior feira brasileira pré-universitária de Ciências e Engenharia em abrangência, qualidade científica/tecnológica e visibilidade. A iniciativa é importante por incentivar e revelar novos talentos e por gerar oportunidades para estudantes e seus professores/orientadores divulgarem e trocarem conhecimentos, desenvolvidos no chão da escola, mostrando à sociedade que aprenderam a aprender, e que não há limite, no que podem querer e realizar.

A mostra de projetos da 17ª FEBRACE ocorrerá entre os dias 18 e 22 de março de 2019 na Universidade de São Paulo. 




Participação da EEM Ronaldo Caminha no Ceará Científico Regional - Crede 09

(Projeto S.O.S CASA)

(Projeto INCLUMAT)



(Projeto Da magia das palavras à formação de leitores)


(Projeto Reflexologia Experimental)

A EEM Ronaldo Caminha Barbosa participou do Ceará Científico Regional organizado pela Crede 09 e obteve o segundo lugar em quatro categorias: Pesquisa em Educação Ambiental, Linguagens, Matemática e Ciências e Engenharia.


Projetos da EEM Ronaldo Caminha Barbosa participam do Ceará Faz Ciência

(Projeto Reflexologia Experimental)

Três projetos desenvolvidos por estudantes da EEM Ronaldo Caminha Barbosa participaram, nos dias 21 e 22 de novembro, do Ceará Faz Ciência, evento constituinte da Feira do Conhecimento organizada pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado do Ceará - SECITECE. 

(Projeto Biopolímero)

Vinte projetos científicos selecionados para o concurso Ceará Faz Ciência estiveram expostos para visitação nos dois primeiros dias da Feira do Conhecimento. Os trabalhos, de autoria de estudantes do Ensino Fundamental e Médio das escolas públicas, abordaram o tema “Ciência para a Redução das Desigualdades”.
Nestes dois primeiros dias da segunda edição da Feira do Conhecimento, o estande do projeto Ceará Faz Ciência mostrou aos visitantes 20 projetos experimentais desenvolvidos por alunos de escolas do ensino fundamental 2 (cinco trabalhos) e médio (os outros 15), sempre ligados a desenvolvimento de produtos sustentáveis e em áreas de relevância social como saúde, Energias Renováveis, Educação, Inclusão e Diversidade.
Depois de avaliados por uma comissão julgadora, no final da tarde desta quinta-feira (22), foram anunciados os projetos premiados em solenidade acontecida na Arena Ciência. 


(Projeto Compósito Cerâmico)

Nossa escola foi contemplada com o segundo lugar com o projeto Reflexologia Experimental, que também foi um dos vencedores do Prêmio Respostas Para o Amanhã. Parabéns.

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Projeto da EEM Ronaldo Caminha é um dos vencedores da Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente

O projeto "Síntese e Aplicação de Biomateriais de Resíduos Sólidos na Melhoria Habitacional de Casas de Taipa", desenvolvido pelos alunos da EEM Ronaldo Caminha Barbosa (Crede 09) é um dos vencedores da 9ª Edição da Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente, promovida pela Fundação Oswaldo Cruz. 

A iniciativa venceu na categoria Projeto de Ciências/Ensino Médio e irá representar a região Nordeste na cerimônia de premiação que ocorrerá em novembro na cidade do Rio de Janeiro. 

A nona edição da Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente (Obsma) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) recebeu 1.228 trabalhos que representam todos os estados brasileiros e que contaram com o envolvimento de mais de 4.270 professores e 67.179 estudantes do ensino fundamental e médio. A competição científica busca reafirmar a importância dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), preconizados pelas Nações Unidas estimulando que os trabalhos abordem de forma crítica e criativa temas da Agenda 2030.

O projeto cearense aplica conceitos de Química, Física e Biologia, além de dialogar com questões das Ciências Sociais, para desenvolver tecnologias que visem proporcionar uma melhor qualidade de vida para as famílias que moram em casas de taipa em 11 comunidades carentes próximas à Escola Ronaldo Caminha (Cascavel-CE).

A iniciativa é 
orientada pela professora de Biologia, Jôseline Maria Sousa Nascimento